Nos passos de Picasso

Por volta de 1920, Picasso fica na Côte d’Azur, especialmente em Antibes e os seus arredores (Golfe-Juan, Juan-les-Pins). Vem várias vezes de férias em Juan-les-Pins, até a segunda guerra mundial. Quando a guerra termina, ele volta a Golfe-Juan e começa por ele, ao lado de Françoise Gillot, um período de intenso trabalho e felicidade.

Em 1946, o seu encontro com Dor de la Souchère, curador do Museu da cidade de Antibes,  lhe oferecerá um atelier de sonho no castelo Grimaldi, onde, em poucos meses, ele pinta um conjunto de obras excepcionais comemorando o Mediterrâneo, o mundo antigo e a alegria de viver.

Todo esse trabalho está exposto hoje no local e será enriquecido por doações e aquisições diversas. Em 1947, ele comença trabalhar com a argila no atelier Madoura.

O Museu do Castelo de Vallauris abriga preciosos testemunhos das suas obras de cerâmica mas introduz também o visitante no incrível universo da guerra e paz, mural realizado em 1953 pelo mestre para a capela adjacente.

A estátua de bronze “Homem com uma ovelha” lembra a afeição que Picasso sentia por Vallauris. É no entanto em Cannes que ele estabeleceu-se com a sua última esposa Jacqueline a partir de 1955, e